A Governança Corporativa na Petrobras

Independência de um Conselho de Administração é um dos nortes da boa prática de governança corporativa. Quanto maior o número de conselheiros independentes, melhor já que terão mais liberdade na forma de analisar e de votar questões pertinentes a este fórum.

Esta boa prática é mais evidenciada na figura do Pte. do Conselho. Não raras vezes ele indicado pelo acionista majoritário ou ainda, o maior acionista é também o Pte. da empresa.

Ainda assim, a independência dos conselhos é questionada. Os dados apontam que graus mais elevados de governança, defendida pelos investidores minoritários, nem sempre estão em linha com os bons resultados. Em nenhuma das 13 entre 20 maiores empresas bolsadas no mundo esta independência ocorre: Tesla, Amazon, Facebook, Berkshire Hathaway, Alibaba, Visa, Johnson & Johnson, Mastercard, Disney, são exemplos.

Este tema é pertinente com a recente demissão do presidente da Petrobras e também membro de seu CA, por decisão do seu maior acionista representado pelo chefe do executivo. Nos remete também a uma outra questão que guarda boa dose de ideologia: uma empresa da importância da Petrobrás, deve ou não ser privatizada, considerando as boas práticas de governança corporativa?