Diversidade Etária Cada Vez Mais em Pauta

O tema diversidade tem sido muito discutido, especialmente em seus capítulos de gênero, raça e religião. Suas vantagens são indiscutíveis afinal, o mundo é diverso. No Brasil, mais da metade da população é feminina, negra (afrodescendente) e de religiões diversas. Replicar esta diversidade nos conselhos e nos quadros das organizações é uma boa prática. A tomada de decisão baseada em opiniões não homogêneas, é mais rica. O universo dos afins é por si só, limitante.

Apesar disto, a diversidade etária, especialmente na faixa dos 60+, tem sido negligenciada. Mais ainda, as organizações que mantém em seus quadros profissionais nesta faixa, tende a ser vista como “old fashion”.

Se este grupo não fizer parte dos quadros ele tampouco será representado no desenvolvimento e no mkt de seus produtos e serviços. O mundo envelhece e rapidamente.

O diretor presidente, entre 40 e 50 anos, é mais risk taker do que um acima dos 60. No entanto, temperar um risk-taker com uma boa dose de experiência, costuma dar muito bons resultados. Nos conselhos de administração, nem se fala. A diversidade etária deve ser levada ao pé da letra.

Para os cinéfilos o filme “Um Senhor Estagiário” estrelado por Anne Hathaway e Robert De Niro é recomendado. Trata bem o tema.