Mundo pós-coronavirus terá menos gente nos escritórios. O que há de novo nisto?

Com a pandemia e seus corolários na vida das pessoas e das empresas muito se discute sobre a forma de trabalho, atual e futura.

A história a seguir, retrata uma situação, anterior à pandemia.

Era uma vez uma equipe composta por 24 profissionais que trabalhava num escritório e num horário convencional.  No entanto, as demandas individuais, eram grandes. Uma tinha filhos pequenos e sempre reivindicou trabalhar em home-office. Outro residia numa cidade próxima fazendo uso de ônibus fretado precisando sair mais cedo, todos os dias. Vários utilizavam veículo próprio, mas o rodízio de placas dificultava o ir e vir diário. Dois deles moravam em outro estado e, por conta do transporte aéreo, chegavam no meio do dia na segunda e saiam mais cedo na sexta. 

A solução: foi definido que cada um realizasse suas atividades de casa, no horário que lhe fosse mais conveniente e às terças e quintas-feiras todos estariam presentes no escritório, das 11h00 às 13h00 e das 14h00 às 16h00 horas. Desta forma, foram preservadas as reuniões presenciais, os momentos de integração, de discussão de soluções e de descontração da equipe.

 Nada de muito novo portanto. Detalhe: o Coronavírus ainda não havia saído da China para o seu, macabro, passeio volta ao mundo!