Mais Brasil menos Brasília

Mais Brasil Menos Brasilia

Cavalgando no  entroncamento das serras de Petropolis, Paty do Alferes e Miguel Pereira eu e um grande amigo, conversávamos sobre como o “capetão” conseguiu, com sua tosquice, desmoralizar a direita.

Até aí, nada de mais. É do domínio público, exceto para os que ainda creem que a culpa do fracasso de seu governo é consequência da conspiração interplanetária da esquerda contra ele, colocando no mesmo balaio a China, a imprensa, o Congresso, o STF, a vacina, a máscara e vai por aí a fora. 

O interessante é que concluímos o óbvio, mas pouco falado: está ficando maçante falarmos de esquerda, de direita e de centro.  A discussão tem que deixar de girar neste eixo e passar para outro: ser contra ou a favor de uma imensa burocracia que trabalha pouco às custas de nossos impostos ou ser contra ou a favor quem trabalha muito e paga esta conta.

Uma versão similar ao “mais Brasil, menos Brasília” tantas vezes repetido em épocas de campanha e nada praticado, quando elas terminam!