Lideranca: pai biológico e o verdadeiro PAI

Com filhos longe, geograficamente, mas próximos no coração, sempre aproveito estes domingos comemorativos para refletir a respeito da importância de ser pai. O verdadeiro pai é um líder. Esta é a cadeira que a natureza reservou para ele. Como tal é preciso exercer esta liderança com dignidade, através de bons exemplos, de bons ensinamentos, de acertos e até de erros. Afinal, errar é humano e faz parte da vida. Caso isto não ocorra, ele é apenas um pai biológico. Importante por razões óbvias, mas nem tanto para o exercício desta liderança.

Entre votos de parabéns pelo dia e de recordações extremamente positivas do meu querido pai (foto) reflito, analogamente, sobre o verdadeiro papel de Pai e o de “Pai” de uma nação.

Aí entra, inexoravelmente, o “Pai” que hoje temos. O Pai da nossa nação. Aquele que incita e da exemplos a seus “filhos” (motoristas) a não usar cadeirinhas no carro para proteger suas crianças, a portar armas de fogo, a não se preocupar com os pardais nas estradas e nas ruas para controlar a velocidade, a não respeitar a diversidade a não se proteger de um vírus mortal, a sempre preferir o conflito ao invés da acordo.

O ser PAI (com letras maiúsculas)  é muito mais do que apenas gerar filhos. O ser “PAI” de uma nação é muito mais do que apenas ser eleito.

Para todos, não somente para os pais, um excelente “domingo – dia dos pais!”.