E o CEO no day after da pandemia?

pandemia

Num ambiente pós-pandemia onde a incerteza escalou, a decisão sobre manter ou contratar outro CEO pode fazer a diferença.

A importância de escolher o perfil certo no momento certo

Em momentos de estruturação da produção o engenheiro oriundo da área de operação, costuma ser o preferido. Em momentos de reestruturação dos custos e da dívida, os economistas ou os engenheiros com especialização em finanças são os mais requisitados. Em fases de expansão e de conquista de novos mercados os profissionais oriundos das escolas de administração, com experiência nas áreas comerciais e de marketing, são mais adequados. Não combinar perfil com momento certo é a fórmula perfeita para o fracasso.

Todos queremos mudar mas, de preferência, sem mudanças!

A permanência de um CEO, seu “prazo de validade”, é cada vez mais curto: em torno de 4-5 anos e em 75% das empresas os contratados já trabalhavam na organização. Como o troca-troca é rápido, subentende-se que as empresas querem inovar. Ora se um dos preceitos básicos da inovação é o frescor do olhar não viciado, alçar um profissional para ocupar o C-Level da própria organização é um contrassenso. É como se quiséssemos mudar mas, de preferência, sem mudanças! 

Para as empresas que procuram um novo CEO e para os atuais ocupantes da cadeira, três dicas

Nestes novos tempos, para as empresas que procuram um novo CEO e para os atuais ocupantes do cargo, três dicas:
i) Aptidão tecnológica: não há dúvida que o executivo de hoje não precisa ser um faixa preta em tecnologia mas também não precisa chamá-la de V.Ex.ª. Mais que nunca ela está sendo o eixo condutor para transformações, verdadeiramente, disruptivas; 
ii) Capacidade de formar e liderar equipes: É fundamental ter a capacidade de cercar-se de bons especialistas e deixá-los trabalhar e decidir. Não há mais espaço para o CEO sabichão! O micromanager isto é, aquele que sabe, faz e decide tudo; 
iii) Capacidade de negociar: Clientes e fornecedores estarão focados em diminuir suas perdas. A tendência do perde-ganha ou do ganha-perde será grande. É preciso muita habilidade para se exercer o ganha-ganha nas negociações.