A Boneca Viajante

“Aos 40 anos, Franz Kafka (1883-1924), passeava num parque de Berlim quando encontrou uma menina que chorava porque tinha perdido sua boneca. Ele ajudou-a a procurá-la, mas sem sucesso. Combinou de no dia seguinte lá se encontrarem para retornarem as buscas.

Desta vez, ele entregou-lhe uma carta “escrita” pela boneca que dizia: “Por favor, não chore. Fiz uma viagem para ver o mundo. Vou te escrever contando minhas aventuras.”

Outros encontros sucederam-se nos quais Kafka lia as “cartas da boneca” contando suas peripécias e a menina adorava. 

Ao final de um tempo, trouxe-lhe a boneca (comprou uma) de volta.

– “Não se parece nada com a minha boneca!”, disse a garota.

Junto com a boneca entregou-lhe outra carta em que a boneca dizia: “minhas viagens, mudaram-me…”. A menina abraçou a nova boneca e trouxe-a feliz para casa.

Um ano depois, Kafka morreu.

Tempos depois a garota, já adulta, encontrou uma cartinha dentro da boneca, assinada por ele, que dizia: ” tudo o que você ama provavelmente será perdido, mas no final o amor voltará de outra forma.”

Em 2020 de alguma forma, perdemos “nossa boneca”. 

Desejo que, em 2021, você volte a encontrá-la e a adorá-la, mesmo que modificada!